Viscossuplementação (gel no joelho)


Como o joelho é uma articulação, necessita de algum tipo de lubrificação para a diminuição do atrito e melhora da eficiência dos movimentos. Quanto melhor a lubrificação da articulação melhor será o alívio da dor em pessoas portadoras de lesão de cartilagem (condral), portadores de artrose ou osteoartrose (AO).

VISCOSSUPLEMENTAÇÃO (GEL NO JOELHO)

A infiltração do joelho com esses novos medicamentos que tem a função de substituir ou melhorar a viscosidade (fator importante na lubrificação) do líquido sinovial (lubrificante natural) no joelho, chamamos de viscossuplementação.

Nos últimos anos, a viscossuplementação se tornou uma forma comum de tratamento da artrose e ou das lesões de cartilagem ou condrais.

CARTILAGEM

Esta estrutura é uma superfície lisa que recobre as superfícies articulares que formam a articulação do joelho. A cartilagem proporciona uma liberdade de movimento por diminuir o atrito entre as partes ósseas do fêmur, da tíbia e da patela.

A cartilagem articular é mantida escorregadia pelo líquido produzido pela membrana sinovial dentro da cápsula arti[if gte vml 1]><v:shapetype id="_x0000_t75" coordsize="21600,21600" o:spt="75" o:preferrelative="t" path="m@4@5l@4@11@9@11@9@5xe" filled="f" stroked="f"> <v:stroke joinstyle="miter"></v:stroke> <v:formulas> <v:f eqn="if lineDrawn pixelLineWidth 0"></v:f> <v:f eqn="sum @0 1 0"></v:f> <v:f eqn="sum 0 0 @1"></v:f> <v:f eqn="prod @2 1 2"></v:f> <v:f eqn="prod @3 21600 pixelWidth"></v:f> <v:f eqn="prod @3 21600 pixelHeight"></v:f> <v:f eqn="sum @0 0 1"></v:f> <v:f eqn="prod @6 1 2"></v:f> <v:f eqn="prod @7 21600 pixelWidth"></v:f> <v:f eqn="sum @8 21600 0"></v:f> <v:f eqn="prod @7 21600 pixelHeight"></v:f> <v:f eqn="sum @10 21600 0"></v:f> </v:formulas> <v:path o:extrusionok="f" gradientshapeok="t" o:connecttype="rect"></v:path> <o:lock v:ext="edit" aspectratio="t"></o:lock> </v:shapetype><v:shape id="officeArt_x0020_object" o:spid="_x0000_s1027" type="#_x0000_t75" style='position:absolute;margin-left:160.6pt;margin-top:155.8pt; width:101.4pt;height:72.3pt;z-index:251659264;visibility:visible; mso-wrap-style:square;mso-wrap-distance-left:12pt;mso-wrap-distance-top:12pt; mso-wrap-distance-right:12pt;mso-wrap-distance-bottom:12pt; mso-position-horizontal:absolute;mso-position-horizontal-relative:page; mso-position-vertical:absolute;mso-position-vertical-relative:page' wrapcoords="-11 0 -11 21597 21590 21597 21590 0 -11 0" strokeweight="1pt"> <v:stroke miterlimit="4"></v:stroke> <v:imagedata src="file:///C:\Users\Brayan\AppData\Local\Temp\msohtmlclip1\01\clip_image001.jpg" o:title=""></v:imagedata> <w:wrap type="through" anchorx="page" anchory="page"></w:wrap> </v:shape><![endif][if !vml][endif][if gte vml 1]><v:shape id="_x0000_s1026" type="#_x0000_t75" style='position:absolute;margin-left:282.8pt; margin-top:155.8pt;width:101.9pt;height:71.8pt;z-index:251660288;visibility:visible; mso-wrap-style:square;mso-wrap-distance-left:12pt;mso-wrap-distance-top:12pt; mso-wrap-distance-right:12pt;mso-wrap-distance-bottom:12pt; mso-position-horizontal:absolute;mso-position-horizontal-relative:page; mso-position-vertical:absolute;mso-position-vertical-relative:page' strokeweight="1pt"> <v:stroke miterlimit="4"></v:stroke> <v:imagedata src="file:///C:\Users\Brayan\AppData\Local\Temp\msohtmlclip1\01\clip_image003.jpg" o:title="" croptop="396f" cropbottom="396f"></v:imagedata> <w:wrap anchorx="page" anchory="page"></w:wrap> </v:shape><![endif][if !vml][endif]cular do joelho.

Um importante componente do líquido sinovial é o acido hialurônico. Ele auxilia na captação e manutenção de água na articulação, aumentando a lubrificação e reduzindo a fricção. Ele também atua permitindo as células se moverem e atuarem na articulação nutrindo a cartilagem articular. O resulta da menor quantidade de ácido hialurônico no líquido sinovial é a degeneração ou a degradação da cartilagem. Como resultado, temos uma articulação que não se lubrifica adequadamente e torna-se mais vulnerável a lesões.

Quando a cartilagem articular se degenera ou se desgasta, temos o principal problema da artrose, a falta de adequada de proteção dos ossos que formam o joelho (fêmur, tíbia e patela). Os ossos se atritam uns contra os outros podendo formar pequenas protuberâncias ósseas, as quais chamamos de osteófitos, também conhecidos na coluna vertebral como "bicos de papagaio”.

TRATAMENTO

A redução na quantidade de ácido hialurônico diminui a viscosidade e a elasticidade do líquido sinovial. Este é um problema porque a viscosidade auxilia na manutenção da lubrificação normal da articulação, protegendo-a de choques e tensões. Quando ocorre sua diminuição a articulação fica mais susceptível as lesões. Portanto a viscossuplementação (injeção de ácido hialurônico no joelho) tem a intenção de tornar o líquido sinovial na artrose similar ao líquido sinovial saudável.

A idéia por trás da viscossuplementação é muito simples porque visa aumentar a quantidade de acido hialuronico no líquido sinovial. As injeções aliviam o joelho rapidamente, no entanto não estam simplesmente recolocando ácido hialurônico na articulação. Pesquisas mostram que a viscossuplementação estimula o organismo a produzir mais ácido hialurôonico. As injeções diminuem os mediadores químicos da inflamação no líquido sinovial dos pacientes.

PROCEDIMENTO

Normalmente é um procedimento indolor e rápido.

Deita-se o paciente em uma maca, realiza-se a assepsia do joelho com uma solução asséptica. Faz-se uma pequena quantidade de anestésico local na região onde se aplica injeção para viscossuplementação.

Após a injeção da medicação um curativo é colocado.

Movimentos de dobrar e esticar o joelho são feitos para que o “gel" se distribua por igual no joelho.

COMPLICAÇÕES

Estudos comprovam que a viscossuplementação é segura e as complicações raras. Porém dor, calor, inchaço no local da injeção são as complicações mais comuns. Estas normalmente se resolvem em um a dois dias.

Inflamação severa que simula uma atrite séptica (infecção no joelho) é uma complicação mais rara, mas pode ocorrer.

Toda injeção na articulação do joelho tem um risco de causar uma infecção, portanto quanto maior o numero de injeções, maior o risco de infecção, mas caso o procedimento de assepsia do joelho seja feito corretamente, esse risco é quase zero.

PÓS-TRATAMENTO

O paciente deve evitar atividades de sobrecarga no joelho no dia da aplicação mas não necessita ficar em repouso completo. Logo após estará apto a retornar as suas atividades normais, recomenda-se após alguns dias iniciar um tratamento fisioterápico.

Quando as injeções funcionam, elas podem gerar alívio por vários meses. Uma nova infiltração deverá ser feita cerca de seis meses após o ciclo inicial para a manutenção do tratamento.